Produtores Orgânicos passam por vistoria para obtenção de certificação

Redigido por: Assessoria

O processo para a certificação dos produtores de orgânicos em Cascavel e seus distritos continua. A Fundetec (Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico) deu iniciativa ao projeto que faz parte do Provai (Programa de Valorização da Agroindústria Familiar) o ano passado e desde então cerca de 30 famílias estão sendo atendidas em - parceria com a Fundação - pela cooperativa Biolabore e pelo Governo do Estado, por meio do programa Paraná Mais Orgânico.

Após um mês de prorrogação por conta da pandemia da Covid-19, as vistorias começaram a ser realizadas e nessa primeira fase, dez propriedades receberam a visita dos técnicos responsáveis por oferecer toda a assistência para a obtenção do certificado e posteriormente o selo de “Produto Orgânico do Brasil”.

“Para que um produtor seja considerado orgânico, ele precisa passar por uma auditoria de algum órgão fiscalizador e um deles, talvez o mais reconhecido aqui no Paraná é o Tecpar (Instituto de Tecnologia do Paraná).Tudo isso gera um custo para produtor, porém, a Fundetec está atuando com a Biolabore e somos nós que estamos fazendo toda essa ponte com o Instituto e com a Unioeste, sem que haja custo para o agricultor”, explicou o engenheiro químico da Fundetec, Frederico Lovato.

O objetivo é simples, fomentar o número de produtores orgânicos e mais tarde levar esses alimentos para a merenda escolar. Para conquistar o selo é preciso seguir uma série de exigências, conforme esclarece o engenheiro agrônomo do Paraná Mais Orgânico, André Rodrigo Carlito, “nós avaliamos se a propriedade atende a legislação dos orgânicos para poder receber a certificação, porque não é só a questão de não aplicar agrotóxicos, têm outras coisas que precisam ser feitas como a da estrutura física. A gente vem, adequa a propriedade, o manejo e encaminha para auditoria do Tecpar”.

Para a agricultora de Rio do Salto, Daniele de Fatima Correia Kosarewicz, que vende verduras na Feira do Produtor e faz parte do programa, a certificação trará mais confiança aos seus consumidores. “As pessoas chegam e pedem se é orgânico e temos que dizer não, porque não temos selo, mas não usamos agrotóxico há pelo menos cinco anos. Seria muito bom se tivesse o certificado porque o alimento orgânico é mais procurado na feira e com o selo teríamos a comprovação”.

A ideia do projeto inclui ainda, para o segundo semestre de 2021, a realização de uma feira municipal de orgânicos, na qual todas essas famílias certificadas poderão vender seus produtos e garantir maior visibilidade da população.

O que é orgânico?

No Brasil, a LEI Nº 10.831 de Dezembro de 2003, considera um produto orgânico, seja ele in natura ou processado, “aquele que é obtido em um sistema orgânico de produção agropecuária ou oriundo de processo extrativista sustentável e não prejudicial ao ecossistema local”.

São alimentos cultivados de maneira totalmente natural, sem a adição de produtos químicos e/ou agrotóxicos. Podem ser alimentos orgânicos: verduras, frutas, sucos, óleos, ovos, carne, vinhos e outros.