29/05/2017
NIT/Unioeste e Fundetec, em parceria desenvolve telha fotovoltaica

O Núcleo de Inovações Tecnológicas (NIT) da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) em parceria com a empresa de telhas, Teggomax, Universidade Federal da Integração Latino Americana (Unila) e com a Fundação Para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico de Cascavel (Fundetec), está desenvolvendo um projeto de telha fotovoltaica. A empresa procurou a Unioeste para desenvolver esse projeto junto com os alunos, auxiliando assim na dissertação, teses de mestrado e de doutorado, de alunos que trabalham com energia fotovoltaica, colocando a tecnologia a disposição para esse empresário.

A Teggomax procurou a Unioeste por meio do NIT, que é o responsável por fazer essa ligação entre universidade e empresa. “A Teggomax é uma das empresas que tem procurado o NIT, já que somos a porta de entrada para as empresas na universidade, e nós criamos há algum tempo  o Centro de Desenvolvimento e Difusão Tecnológico em Energias Renováveis (CDTER-PR), e o nosso objetivo é que as empresas do Oeste e Sudoeste do Paraná possam se beneficiar com aquilo que a Universidade oferece, então mesmo não sendo uma empresa, a universidade pode ajudar a empresa a se desenvolver”, afirma o coordenador geral do NIT Reginaldo Ferreira Santos.

O projeto tem como objetivo gerar energia renovável, em prazo menor do que o sistema de placas solares. “Nós pensamos em produzir algo que pudesse viabilizar que cada usuário de energia elétrica tivesse a possibilidade de ter energia em sua residência, zerando a conta gerada pelo consumo de energia das empresas que fornecem esse serviço. Como somos usuários e produtores de telhas de concreto, nós pensamos que a viabilidade da telha fotovoltaica aconteça em um prazo menor do que as placas solares, além da estética e da proteção que o telhado irá ter” afirmou o proprietário da Teggomax Nilton Bonfanti.

Segundo a Engenheira de produção, e mestranda da Unioeste, Francielle Pareja, a telha foto voltaica tem como objetivo sensibilizar a população para a questão do sustentável com um material de fácil adaptação e manutenção. A engenharia da produção irá ajudar na otimização dos recursos, tanto na criação da própria telha, quanto na substituição de telhados já existentes por telhados voltados para captação solar.

Outro foco da telha fotovoltaica, é levar energia para comunidade isoladas onde a gerada por hidroelétricas não tem alcance. “Outra grande importância da telha é a questão de poder levar energia aquelas comunidades onde não há a possibilidade de se levar energia por meio de linhão, possibilitando a família de ter as questões mínimas de sobrevivência, como geladeira, televisão e até mesmo internet, além de poder fornecer energia para escolas e postos de saúde distantes” completou o empresário Nilton.

Segundo o coordenador do CDTER-PR, o aluno de mestrado Cristiano Fernando Lewandoski, o projeto será patenteado pela universidade, oferecendo todo o suporte técnico, cientifico, administrativo e econômico para essa empresa.

fonte: http://www5.unioeste.br/portalunioeste/maisnoticias/40648-nit-unioeste-desenvolve-telha-fotovoltaica-em-parceria-com-empresa