Agrotec - Escola Tecnológica Agropecuária                                                     logo home agrotec

A Agrotec (Escola Tecnológica Agropecuária) é uma extensão da Fundetec, voltada para o setor agrícola. Com uma área de aproximadamente 127 hectares, o espaço é dedicado para a geração de receitas, realização de cursos de capacitação, destinado especialmente aos produtores rurais, agroindústrias, profissionais e estudantes. A escola atua ainda como uma vitrine tecnológica na divulgação das inovações geradas no campo por meio de seminários, palestras e dias de campo. 

A Escola Tecnológica possui áreas dedicadas à agricultura, fruticultura, cana-de-açúcar, pecuária (bovinocultura, avicultura e pastagem), além de um viveiro de mudas que produz espécies vegetais nativas e frutíferas da região. Na área encontra-se também o Telecentro Comunitário, que visa possibilitar a inclusão digital de produtores rurais e seus familiares, que não possuem acesso a tecnologias de informação e comunicação digitais. O espaço conta também com o Núcleo de Agroindustrializados, local projetado para realização de cursos e desenvolvimento de produtos, a partir do leite, carnes, aves, pescados, frutas e vegetais.

Conheça um pouco de nossa estrutura:

   Aviário Escola

    Viveiro de Mudas

    Núcleo de Agroindustrializados

Com 210 metros quadrados, a Unidade de Agroindustrializados é um espaço projetado para realizar cursos e desenvolver produtos a partir de leite, carnes, aves, pescados, frutas e vegetais. Além da sala de processamento, a unidade conta com as salas de recepção e preparo de matérias-primas, aula, análise sensorial, armazenamento, câmara fria, forno e defumador.

    Telecentro Comunitário

    Unidade de Beneficiamento de Mel

    Unidade de Beneficiamento de Leite

Para atender os produtores cooperados a Siscooplaf (Cooperativa Central de Leite da Agricultura Familiar com Interação Solidária do Oeste do Paraná), está sendo construída uma usina de beneficiamento de leite, que possibilitará o envase de dez mil litros diários e o processamento de dois mil litros para produção de iogurte e bebida láctea. O projeto foi aprovado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário, com contrapartida do município.